Exercício físico: a importância de cuidar de si

“Mens sana in corpore sano”, mente sã em um corpo são, uma frase latina que percorre séculos da nossa civilização, lembrando que a saúde se encontra nos detalhes

Na antiguidade greco-romana, desenvolveu-se uma cultura a que os filósofos chamam de “cuidado de si”. Esse cuidado de si chegou a ser muito mais abrangente do que o “conhece-te a ti mesmo”, mais popular em nossos dias.  Isso porque o próprio conhecimento de si era abarcado por esse cuidado. E esse cuidado implicava, de forma sucinta, além da atenção à alma, também ao corpo.  Mais de 20 séculos depois, ainda, nos debatemos sobre a necessidade desse cuidado ou não. E você?  Como tem se tratado? Tem cuidado de seu corpo?

O fato é que a vida contemporânea, com todo o conforto e as facilidades conquistados pela sociedade, estimula o sedentarismo. Horas e horas sentadas em frente a uma tela (seja de celular, tv ou computador) não colabora em nada com a saúde do corpo e ainda o incentiva a ficar mais e mais preguiçoso. Por isso, um simples alongar-se pode ter um efeito inimaginável sobre ele.

Alongamento como cuidado

A professora e educadora física Rita Delevatti, coordenadora técnica administrativa, da Razão do Todo, empresa de ginástica laboral, lembra que alongar-se, antes de tudo, é estar atento ao próprio corpo. O corpo nos fala o que sente, basta prestarmos atenção aos sinais. “Um bom alongamento é aquele que após ser realizado, você sente seu corpo mais leve, com maior amplitude articular, menos dores no local”, explica.

O tempo mínimo necessário de alongamento é bastante discutido e não existe consenso sobre isso. “O ideal é que o indivíduo permaneça na posição o suficiente para sentir que a musculatura ficou mais solta. Isso pode variar de pessoa para pessoa. Mas, eu recomendaria um mínimo de 5 a 10 segundos e até 60 segundos, para cada exercício. Podendo inclusive repetir 3 séries de 60 segundos”.

Funcionalidade do exercício

Rita explica que, atualmente, a preocupação de muitos educadores físicos diz respeito à funcionalidade que o exercício pode promover. Ela, particularmente, quando trata de ginástica laboral, mais do que alongar, busca compensar as posturas estáticas no trabalho, iniciando as aulas com exercícios de mobilidade articular e com exercícios de alongamentos dinâmicos. “Isso permite um aporte sanguíneo para os músculos, aumentando a lubrificação nos tendões. Depois, eu finalizo com o alongamento estático, com o objetivo de deixar a musculatura mais solta, num estado de maior amplitude”, salienta.

Saia da inércia!

Nesses tempos de pandemia, Rita dá algumas dicas para manter os benefícios da atividade física (mesmo limitada), em dia. Uma delas, caso o indivíduo possa, é contratar um profissional de educação física para realizar aulas on-line. Dessa forma, ele estará bem assessorado, garantindo uma prática saudável e segura. “Essa área evoluiu muito e os preços estão acessíveis. E as pessoas devem se lembrar que isso é investir em saúde. Mas caso não seja possível, as atividades mais seguras, sem risco de lesão seriam as caminhadas – nas quais é fundamental não esquecer o uso de máscaras, ao sair para as ruas. Subir e descer escadas é outra possibilidade, assim como sentar e levantar-se de uma cadeira, deitar no chão e realizar alguns alongamentos, entre outros. Enfim, existem ainda aulas gratuitas pela internet, com sugestões de vários exercícios. Só fica parado hoje em dia, quem quer”, avalia.

Confira sugestões de exercícios para fazer em casa

Rita acredita que atividade física é questão de atitude, precisa partir de cada indivíduo pois exige esforço físico, sair da inércia.  “Com 10 a 15 minutos e uma boa orientação, é possível alterar o estado de inatividade, imobilidade e rigidez articular, por meio de alongamentos. Ou se der ênfase a determinados grupos muscular, por vez, poderá até desenvolver força muscular”, explica.

Tudo depende daquilo que a pessoa deseja. Então, é arregaçar as mangas e começar. Nunca é tarde para isso. Quanto mais velho, porém, e menos tempo sem exercícios, mas é necessário buscar ajuda e orientação. Pode ser mais natural para uns e mais difícil para outros. Afinal, sempre foi assim: uns têm mais facilidade em cuidar do corpo, outros da mente. Porém, de novo, os antigos vêm em nosso socorro. O equilíbrio é a palavra-chave para uma vida saudável. Sem um corpo são, a mente também corre riscos…

  10 motivos para você se exercitar

  1. Corpo sarado, bem definido e atraente: esses são apenas alguns benefícios estéticos que a atividade física pode trazer ao nosso corpo
  2. Pulmões, o coração e o cérebro são também mobilizados, estimulados a liberar substâncias capazes de trazer bem-estar, conservar o corpo e evitar doenças mais graves
  3. Quinze vezes mais oxigênio é consumido durante uma atividade física, por isto a respiração acelera. Esse comportamento ocorre porque os músculos dos pulmões se expandem ao máximo e esta região dos pulmões ficam mais resistentes
  4. Quem pratica atividade física não coloca só os músculos para trabalhar, mas o cérebro também entra em ação, pois as células chegam a altos níveis de funcionamento. O aumento de oxigenação, aliado a outras mudanças no corpo, ajuda a evitar doenças neurológicas como AVC (acidente vascular cerebral, Parkinson, Alzheimer)
  5. Aumenta a sensação de prazer. Quando nos exercitamos um neurotransmissor chamado serotonina é liberado. Ele é responsável por auxiliar a regular o seu estado de humor e até aliviar sintomas de tristeza e depressão
  6. Outros hormônios responsáveis pela sensação de relaxamento do corpo são liberados, como a testosterona, adrenalina e cortisol. O que auxilia a aliviar o estresse
  7. Aguentamos emoções mais fortes, isso ocorre devido à frequência cardíaca crescer durante o exercício físico, deixando nosso coração mais resistente com a criação de novos vasos sanguíneos criados, o que também ajuda a diminuir a pressão arterial.
  8. Nosso sistema imunológico fica mais resistente e adoecemos menos
  9. Produzimos Dopamina, um hormônio que atua na regulação motora dos movimentos voluntários, no humor, na memória, na atenção e principalmente na sensação de bem-estar e prazer. Isso porque a Dopamina atua numa parte do sistema nervoso chamada circuito de recompensa. Através dele o ser humano se sente satisfeito.
  10. A ciência confirma o papel da atividade física na prevenção e no controle da depressão, um mal que se alastra em proporções epidêmicas. A solução, tanto em matéria de prevenção como no tratamento, engloba outros ajustes, como a mudança de hábitos. Nesse sentido, teremos que literalmente suar a camisa para reverter a situação.

   Fonte: Razão do Todo

Sete exercícios básicos para quem não gosta ou não tem tempo de atividade física

1. Caminhe- Sempre que puder, deixe o carro na garagem, ou se estiver de transporte coletivo, pare antes do ponto final e vá a pé ao trabalho, por exemplo

2. Dance, coloque uma música e solte o corpo

3. Brinque com seu cachorro

4. Suba escadas

5. Lave o carro

6. Faxine a casa

7. Cuide do jardim

    Fonte: Razão do Todo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//Código do Google Analytics