Depressão: A visão da homeopatia

A homeopatia, junto à psiquiatria e à psicoterapia, pode ser uma grande aliada no combate à depressão.  A homeopatia enxerga o ser humano seguindo o pensamento holístico, onde as propriedades de um sistema não podem ser explicadas apenas pela soma dos seus componentes, onde o sistema total determina como se comportam as partes. “Ou seja, entendemos o paciente como uma totalidade e não como partes fragmentadas. A saúde e a cura são buscadas através do equilíbrio desse todo e não do equilíbrio das partes”, explica o médico homeopata Miguel Meister Filho.

Depressão: o demônio do meio-dia

Meister explica que a homeopatia é um sistema terapêutico que busca a cura através de medicamentos derivados de diferentes substâncias, materiais e não materiais, ultra diluídos através de uma técnica denominada dinamização. Tais medicamentos buscam estimular o próprio organismo a restabelecer o equilíbrio, harmonizar-se e resolver os sintomas físicos ou mentais resultantes dessa desordem. Sendo assim, a homeopatia busca tratar o indivíduo e a consequência é a cura de sua “doença”.

A medicação homeopática é produzida através de um processo denominado dinamização, onde substâncias de diferentes origens são ultra diluídas e succionadas. “Observa-se que tais medicamentos são capazes de estimular defesas próprias do organismo em direção a esse conceito de cura, seja em condições físicas, mentais ou emocionais”, explica Meister.

Visão holística

Como possui uma visão holística, o indivíduo e o organismo são vistos como um único conjunto na homeopatia e, dessa forma, os distúrbios são encarados, independentemente de se manifestarem física, emocional ou espiritualmente, como manifestações da perda do equilíbrio da totalidade.

Frente a visão holística previamente descrita a atuação no indivíduo e no organismo se misturam, o indivíduo e o organismo são vistos como parte de um único conjunto. “É como uma rádio que não como uma rádio que possui sua frequência ideal e por algum motivo não está bem sintonizada”, explica o médico.

Por isso, o tratamento visa atuar no equilíbrio do todo, visando um processo de auto cura. No qual o paciente é estimulado a encontrar caminhos de saúde para a condição onde se encontra. “Por isso, a colaboração multidisciplinar exerce papel importante, inclusive com tratamento concomitante com medicações alopáticas, em muitos casos”.

Controvérsias e evidências científicas

Algumas vezes, a dificuldade na compreensão no mecanismo de ação da homeopatia, gera algumas controvérsias. “O fato é que após a 6ª potência, os remédios homeopáticos não possuem mais matéria, são energia, vibração. Deixamos o campo da medicina material para penetramos em um mundo maravilhoso que é a medicina vibracional.  Como exemplo poderíamos comparar o organismo como um instrumento musical de cordas e o remédio homeopático como um diapasão. Pela vibração transmitida chegaríamos a harmonia. Um organismo em harmonia é como um instrumento afinado dentro de uma grande orquestra”, aduz Meister.

As evidências científicas estão avançando. “Nos últimos anos os estudos envolvendo as ultras diluições vêm avançando muito. Estudos baseados nos conceitos de memória da água desenvolvidos pelo vencedor do prêmio Nobel, o médico francês Luc Montagnier, foram um grande avanço nessa área. Porém, o dia a dia, no consultório, de quem já tomou homeopatia, podem atestar os resultados”, revela Meister.

O que as pessoas deveriam saber sobre a homeopatia

  • Homeopatia é uma Especialidade Médica, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1980.  Médico Homeopata é o profissional especializado em homeopatia (pós-graduação).
  • Constitui especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1980.  Médico Homeopata é o profissional especializado em homeopatia (pós-graduação).
  • Homeopatia pode ser utilizada por pacientes grávidas, desde que os remédios homeopáticos sejam prescritos por médicos
  • O remédio homeopático não deve ser dado a outra pessoa, sobre o pretexto que “este fez bem para mim”
  • Não precisamos ter “fé” na homeopatia, para fazermos o tratamento homeopático
  • Certas substâncias, interferem no tratamento homeopático (cânfora, mentol, eucalipto, etc… odores e sabores)
  • Pacientes com doenças crônicas que tomam medicamentos alopáticos, podem fazer um bom tratamento homeopático, concomitantemente
  • A homeopatia pode ajudar muito a outras especialidades. Ex: O medicamento homeopático Arnica Montana no pós-operatório (Rinoplastia), combate a rinite alérgica (Otorrino), várias situações pediátricas, Candidíases (Ginecologia)… etc.
  • Pode ajudar no combate das Viroses complementando as terapias indicadas pela O.M.S.
  • Os medicamentos homeopáticos manipulados por farmacêuticos especializados, são de baixo custo
  • A Homeopatia é utilizada em todos os países da Europa (atualmente na Holanda está sendo muito difundida. Na Índia é uma das principais técnicas medicamentosas.
  • Na América do Sul está presente em todos os países
  • A Homeopatia já faz parte de vários convênios médicos e também do SUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *