Alimentação no inverno: saiba como driblar as tentações e emagrecer

Não há quem negue: o friozinho combina – e muito – com um bom fondue, uma sopa bem quentinha ou, então, outros alimentos que, em sua maioria, tendem a ser mais calóricos. É natural que, com a chegada do inverno, a vontade de consumir uma quantidade maior de alimentos aumente, assim como o desejo pelas guloseimas e “bobagens”. Porém, você sabia que é justamente durante essa época que nosso corpo queima mais calorias e, dessa forma, se torna mais fácil emagrecer?

Seguir uma dieta, ou optar por uma alimentação balanceada, nem sempre é tarefa fácil, e com a queda das temperaturas o desafio se torna ainda maior. Afinal, quem consegue trocar uma lasanha por um prato de salada? “Isso acontece porque no inverno nosso corpo gasta mais energia para manter nossa temperatura estável e, para compensar essa perda energética sentimos a necessidade de consumir mais calorias”, explica a nutricionista Karen Emanuelly Geovani, que atua na Unimed Regional de Campo Mourão.

Cuidado com a mudança de hábito no inverno

Apesar de ser uma atitude completamente normal, a profissional alerta para quando os deslizes pontuais se tornam rotina. Aliado a outras mudanças ocasionadas pelo inverno, como a redução na frequência de exercício físico, a alimentação desequilibrada pode trazer diversos problemas. “A mudança dos hábitos alimentares, aumentando o consumo de alimentos ricos em carboidratos e gorduras. As pessoas se expõem menos ao sol, fazendo com que tenha uma baixa nos níveis de vitamina D, isso pode afetar indiretamente os níveis de colesterol. Quando adotamos esses comportamentos com a chegada do inverno, acabamos ficando sujeitos ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes” diz.

Como evitar o ganho de peso durante o inverno?

Karen explica que, com alguns pequenos cuidados, é possível evitar que o inverno se torne um problema futuro, seja em relação ao peso ou à saúde. “O segredo é ter equilíbrio, no inverno temos o costume de fazer mais reuniões para comer coisas pesadas e quentes, saiba fazer suas escolhas e coma com moderação”, pontua. Além disso, a profissional lembra que é importante manter uma rotina de exercícios, mesmo que seja feita dentro de casa – desde que com a orientação de um profissional capacitado. “Beba bastante água, não esqueça de se hidratar, isso vai trazer inúmeros benefícios. Durma bem, o sono é um ótimo aliado para uma vida saudável, e interfere na dieta, independente de qual seja”.

Leia também: Chás podem ser bons aliados no inverno

A nutricionista também reforça a importância de ter controle em relação à comida. “Devemos fracionar mais as refeições, fazer trocas inteligentes e cuidar para que elas sejam completas, contendo sempre carboidratos, proteína e lipídeos e, não podemos nos esquecer do que nos mantêm saciados por um período de tempo maior, que são as fibras e podemos encontrá-las nas frutas, grãos, verduras e legumes. Faça uso de arroz e macarrão integral, prefira legumes cozidos ou assados isso ajuda a controlar o apetite”, destaca.

Uma opção para ajudar com as frutas, de acordo com Karen, é preferir as frutas da época, como: laranja baia, laranja lima, maracujá doce, mexerica, morango e tangerina.

No inverno pode ser mais fácil emagrecer

Apesar das variadas tentações que surgem durante o inverno, Karen afirma que durante o frio é mais fácil emagrecer. O motivo é simples: o corpo gasta mais calorias para se manter aquecido. “As baixas temperaturas do inverno são grandes aliadas para alcançar a boa forma, pois, segundo especialistas, para se manter aquecido, o corpo aumenta o gasto calórico em até 10%, o que nos leva a ver que isso associado a uma dieta e atividade física é uma alavanca para alcançar o peso desejado”.

Mitos e verdades sobre alimentação no inverno

Nesta época, podemos reduzir o consumo de líquidos

MITO. Continuamos com a mesma necessidade de hidratação dos tecidos, para que tenha em nosso corpo água suficiente para manter nossos órgãos funcionando e para que seja feita a liberação de toxinas.

Risco de desidratação é menor

MITO. É fato que com as temperaturas mais baixas, acabamos produzindo menos suor, mas fique atento, isso não é sinal de que podemos consumir menos líquidos. Temos que levar em consideração que mesmo com a diminuição da sudorese o corpo compensa com o aumento da vontade de urinar, assim, continua com a mesma necessidade de água para hidratar os tecidos e manter os órgãos funcionando. Um outro sério problema que enfrentamos com relação a desidratação, é porque a maioria de nós tem uma diminuição da sede, o que nos leva a beber uma quantidade menor de água. O ideal é manter a ingestão de pelo menos dois litros por dia.

Consumir frutas cítricas ajuda a evitar gripes.

VERDADE. Ajuda sim. Algumas frutas, como: limão, abacaxi, laranja, acerola, goiaba, entre outras… possuem uma quantidade significativa de vitamina C que é um dos nutrientes mais importantes para fortalecer nosso sistema imunológico, com isso, nos ajuda a prevenir gripes e resfriados. Outro fator importante, é incluir na dieta verduras e legumes, que também ajudam a prevenir. Eles podem ser consumidos em forma de sopas e caldos.

Se exercitar no inverno ajuda a emagrecer

VERDADE. Sabemos que no inverno a procura por atividade física é menor, as pessoas têm uma diminuição na disposição para ir se exercitar. Mas precisamos entender que para quem quer perder peso essa pode ser a época de começar. Isso acontece porque no inverno o nosso metabolismo fica um pouco mais acelerado por ter a necessidade de manter nossa temperatura corporal estável, produzindo mais calor, por isso, vale manter a rotina de exercícios em dia.

Comer fruta com casca faz o corpo gastar mais caloria do que sem

VERDADE. As frutas, quando têm a casca comestível, têm fibras, e mais ainda porque são fibras solúveis, e essas fazem o corpo gastar mais calorias para sua digestão. Elas formam uma espécie de “gelatina” que envolve o bolo alimentar, impedindo a total absorção das gorduras ingeridas, e fazem também com que o nosso corpo regule corretamente a velocidade de quebra dos alimentos em glicose, o que auxilia muito no controle da fome. Mas é importante ressaltar sobre a higienização correta da casca da fruta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *